domingo, 26 de dezembro de 2010



                                               Boas Festas para todos, que as confraternizações sejam perduradas e extensivas no 2011 com atitudes de generosidade, tolerância, flexibilidade no ouvir e agir com o outro. Sobre o Papai Noel, tenho escutado falar, que existem estudos no tocante a sua figura gorda, dizem os entendidos que estimula a obesidade mórbida. Papai Noel magrinho heim? Cá prá nós, vai ser estranho. A propósito, meu Natal foi especial e maravilhoso!!

domingo, 5 de dezembro de 2010

Baile do Branco no Paladino Tênis Clube









O Baile do Branco do Paladino Tênis Clube na orla da piscina, foi marcado pelo belo desfile da loja Poá da amiga Taís Donga, bem como pelo desfile da Nany Bijouterias e da loja Detalhes. De uma maneira descontraída as roupas e acessórios foram apresentados, assim como as lingeris, biquinis e sungas. A brisa ao ar livre arrepiou mais forte, ao ver os corajosos manequins entrando na piscina. Bom rever pessoas amigas, que fazem parte da nossa história. Felicitações aos organizadores pelo sucesso do evento.

Mais imagens da peça


Dona Flor e os seus dois maridos

Espetáculo muito bem produzido, um elenco numeroso e durante os 100 minutos apresentados, a peça Dona Flor e os seus dois maridos, envolveu o público presente no Sesc na quinta passada em 02 de dezembro.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

2º Fórum Municipal de Educação Infantil

Em 24 de novembro de 2010, num dia com fortes pancadas de chuvas, aconteceu o 2º Fórum Municipal de Educação Infantil no Auditório Central da Ulbra/Gravataí.
Como primeiro painel o "Ensino Fundamental aos 5 anos, que política é essa?"

O Professor Euclides Redin - Unisinos-Rs, palestrou para uma repleta e atenta platéia de profissionais da área da educação.

Segundo ele, fóruns são organizações de caráter político, envolvendo aqueles que gritam e lutam pelos direitos da criança, como o de hoje.

Delicadeza, sensibilidade, ternura e muita esperança, quatro palavras que resumem o que nos marca como educadoras, assim como também é a marca da criança. Levando as educadoras a refletirem sobre o direito à ternura.

domingo, 21 de novembro de 2010

No mês de outubro foi realizado um Chá da Primavera na Favo de Mel onde os benefícios arrecadados, foram destinados para o conforto das crianças com a aquisição de uma linda pracinha.
                                           Equipe da Favo de Mel



domingo, 7 de novembro de 2010

56ª Feira do Livro de Porto Alegre

Pessoas e mais pessoas, gente de todas as cores, crianças e seus balões com adultos envoltos com sacos de pipoca, tentando segurar os seus pequerruchos. Assim estava a Feira do Livro de Porto Alegre. Bom ver que a feira é deles também, que existem pais, mães, avôs e avós preocupados em transmitir um legado cultural. O burburinho de lá, o farfalhar nas folhas tanto dos jacarandás, quanto as dos livros, é um prazer que ñenhum livro digital poderá corromper, um momento único de aromas que só estando lá para sentir. http://www.feiradolivro-poa.com.br/
Sempre vale a pena conferir a festa das letras.

terça-feira, 2 de novembro de 2010

                                   Trabalho desenvolvido com amor e dedicação.
                                        Sessão de Autógrafos
Cartão-Poema
Escola João Paulo II

sábado, 30 de outubro de 2010

Lançamento Cartão-Poema Mundo Cão Prefeita Rita Santo - Imagem Secom/PMG

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Programação da Feira do Livro de Gravataí

Convido os amigos para o Lançamento do Cartão-Poema no dia 19h às 16h.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Feira do Livro - Educação e Cultura

Tem Feira do Livro no seu último dia hoje em Erechim e Feira começando no 01 de outubro em Caxias do Sul, onde serão dezessete dias com mais de trezentas atrações culturais e literárias.
Há três dias das eleições é bom pensar nos votos aos candidatos, que entre tantas outras preocupações que o país requer, eles também preocupam -se com a educação, com a cultura, pois povo educado e culto adoece menos, prima pela qualidade de vida.

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Escritores locais que estarão na feira -  Claudio Wurlitzer,  Sebastião Medeiros, Célia Jachmett, Prefeita Rita Sanco, Eu, Borges Neto e Milton Souza.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Lançamento da Feira do Livro em Gravataí

Na urgência do tempo, mas ainda em tempo, cá está o convite para os amigos, que prestigiam o trabalho dos escritores.
Presença valiosa.

sábado, 11 de setembro de 2010

Machado de Assis em "História de Bichos" no seguimento da história

"A um canto,  a lagartixa, o lagarto e o crocodilo palestravam em família. Cousa digna da atenção do filósofo é que a lagartixa via no crocodilo uma formidável lagartixa, e o crocodilo achava na lagartixa um crocodilo mimoso; ambos estavam de acordo em considerar o lagarto um ambicioso sem gênio (versão lagartixa) e um presumido sem graça (versão crocodilo).

                 - Quando lhe perguntam pelos avós, observou o crocodilo, costuma responder que eles foram os mais belos crocodilos do mundo, o que pode provar com papiros antiquíssimos e autênticos...
                 - Tendo nascido, concluiu a lagartixa, tendo nascido na mais humilde fenda de parede, como eu... Crocodilo de bobagem!
                 - Notai que ele fala muito do loto e do nenúfar, refere casos do hipopótamo, para enganar os outros, mas confunde Cleópatra com o Khediva, e as antigas dinastias com o governo inglês..."

terça-feira, 7 de setembro de 2010

7 de setembro de 2010

Os desfiles em todo o Brasil marcam o grito da independência contra Portugal. Milhares de brasileiros foram as ruas para ver, em alguns deles puderam assistir a diversidade da cultura brasileira mostrada no Desfile de 7 de setembro em Brasília. No Rio de Janeiro a marinha se fez presente com dez embarcações.  A aeronáutica foi o ponto forte em São Paulo, apesar da chuva. Durante as comemorações do aniversário da independência do Brasil, houve protestos e marchas  por direitos assegurados em paralelo com o desfile oficial em Porto Alegre. As lutas por melhores condições de trabalho e atenção nas suas categorias continuam sempre e olhem só,  o texto de Monica Buonfiglio abaixo, com a mostragem  que ao proclamar a independência D. Pedro contou com os méritos de D. Leopoldina para que ela se efetivasse.



"Só nos foi possível tomar conhecimento dessa história em 1960, quando um leiloeiro de Munique, na Alemanha, anunciou a venda de oito mil cartas de Maria Luisa, irmã de D. Leopoldina (duzentas e quarenta cartas da nossa imperatriz).
Desta forma, conhecemos com mais intimidade a arquiduquesa Leopoldina que falava onze idiomas, dentre eles, o esloveno, croata, tcheco, alemão, húngaro, turco, boêmio, espanhol, italiano, português e o latim. Além disso era conhecedora da arte heráldica e determinou que as cores do Brasil depois da independência, fosse o verde-amarelo. Sempre atuante, também ajudou a redigir os textos para D. Pedro, sendo possível neles verificar sua inicial, abaixo da assinatura do Imperador.

Se perguntarmos a qualquer brasileiro o nome de uma mulher que tenha se destacado ao lado de D. Pedro I, certamente obteremos a resposta: " Marquesa de Santos" que entrou para a história como sinônimo de suas proezas amorosas.
Porém, diante deste romance, o índice de rejeição da população tomou proporções desmedidas contra o Imperador, já que D. Leopoldina era muito querida pelos súditos, pois havia conquistado a solidariedade das camadas populares. Temendo manifestações mais radicais do povo contra ele, Pedro ordenou que a Imperatriz permanecesse em cárcere privado. Ela adoeceu em decorrência de um ponta-pé desferido em seu ventre por D. Pedro, morrendo aos 29 anos.

Creio que o resgate histórico é fundamental para que o mundo moderno caminhe para a verdadeira igualdade de gênero; relembrar este fato é prestar a devida homenagem à Leopoldina, que foi exemplo de perseverança, coragem, amor e devoção ao Brasil".

Que hoje junto ao grito do Ipiranga, muitas mulheres com semelhança de vida com Leopoldina possam dar o seu grito,  aqui deixo o meu com o apaziguamento e na forma do tempo, o esquecimento. Mulheres mártires é bonito só na foto, combino mais em ser pacificadora.
Meu nome é Ester e homenageio Leopoldina no 7 de setembro

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Coisas daqui II

Numa tarde ensolarada, com sol forte e ar gelado caminhei pelas ruas de Gravataí. Desci a ladeira, subi outra, cidade de altos e baixos, em todo lugar tem uma lomba pra subir e descer. Encontrei o Amon na esquina da Fundarc, batemos um rápido papo e continuei subindo. Atravessei a faixa de segurança (eu acredito nela) e cheguei ao Sesc. Fila no elevador, só tinha um funcionando e o outro estava estragado. Bom aí me virei, perguntei às funcionárias, que também estavam na fila, sobre as escadas e me responderam que "tem, mas é só pra emergência" e o que era aquela fila? Hum ... emergência não é situação crítica? Espera-se então, veio o elevador e levou uma leva de gente. Em outro dia  apertei o botãozinho e fiquei esperando, esperando, até que nem sabia eu, abri uma porta e desci pelas tais escadas, que agora sei, são as ditas de emergência.
Depois de lá, encontrei a Isabel, que me acompanhou no almoço, aliás no café, porque ela já tinha almoçado. Nos despedimos e fui na Vivo, mais fila e se alguém não pergunta, muita gente fica esperando para ser atendida na fila errada. Está certo que paciência é uma virtude, mas pombas gente, a cidade cresce como fermento e o atendimento ao público tem que acompanhar. Todo mundo, tem seu tempo dividido em segundos e se facilitar perde-se meia tarde nas filas, por falta de agilidade.
Ninguém pode esperar por troco quando o comércio não tem e resolve trocar na frente do cliente e tu ali, esperando, isso acontece em rede de supermercados também.
Enfim, no corre- corre da tarde, encontrei três pessoas amigas, destaco a Moa também num rápido cumprimento e o que quero deixar de registro, é que as chances de encontrar pessoas das quais nos relacionamos, com a demanda crescente da população, são cada vez menores. Em véspera do grito do Ipiranga, tinha muita gente circulando, já de feriado.

domingo, 29 de agosto de 2010

Continuação da "História de Bichos" -Machado de Assis

                      "Não lhe dei ouvidos. Fui dali ver o elefante enroscando a tromba no surucucu e o surucucu enroscando-se na tromba do elefante. O camelo esticava o pescoço, procurando algumas léguas de deserto ou, quando menos, uma rua do Cairo. Perto dele, o gato e o rato ensinavam histórias um ao outro. O gato dizia que a história do rato era apenas uma longa série de violências contra o gato, e o rato explicava que,  se perseguia o gato, é porque o queijo o perseguia a ele. Talvez nenhum deles estivesse convencido. O sabiá suspirava".

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Tendências na moda

O calorzinho do dia de hoje, em pleno agosto, aguça a vontade de que a primavera chegue logo com a vibração das cores sob a luz do sol. A tendência na moda é cor total, indo do bege das areias ao amarelo do sol, passando pelos tons laranjas, púrpura e fuésia das flores tropicais.
Fluidez, drapeados, ombros destacados, pontas, foco nas mangas, tecidos brilhantes e com os tafetás, ciré e cetim. Cada um faz a sua moda, em renovações ou à moda antiga. O importante é a sensação do conforto e do aconchego que o tecido proporcione, afinal elegância é nata no tratamento do outro, não só na moda, mas em tudo na vida, cuidado e zelo é demonstração de bem-estar.

sábado, 14 de agosto de 2010

Cecilia Meireles

Leveza

Leve é o pássaro:
e a sua sombra voante,
mais leve.

E a cascata aérea
de sua garganta,
mais leve.
E o que lembra, ouvindo-se
deslizar seu canto,
mais leve.
E o desejo rápido
desse mais antigo instante,
mais leve.
E a fuga invisível
do amargo passante,
mais leve.

Cecília Meireles

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Machado de Assis e a História de Bichos

"Foi interrompido pelo galo, que bateu as asas, e depois de cantar três vezes, como nos dias de Pedro, proferiu esta locução:

- Pela minha parte, não é a chuva que me aborrece. O que me aborreceu desde o princípio do dilúvio, foi a vossa idéia de trazer sete casais de cada vivente, de modo que somos aqui sete galos e sete galinhas, proporção absolutamente contrária às mais simples regras da aritmética, ao menos que eu conheço. Não brigo com os outros galos, nem eles comigo, porque estamos em tréguas, não por falta de casus belli. Há aqui seis galos demais. Se os mandássemos procurar o corvo?"

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Educação - Dia dos Pais

No site de ZH Notícias confira a reportagem na íntegra de Itamar Melo onde estão inseridas no  X da Educação as Doze dicas para ser um pai educador, achei muito interessante, atualmente os pais tem pouco tempo para ficarem com os filhos e acabam negligenciando, muitas vezes transferindo para a escola e outros, mas como diz o ditado,  a "educação vem de berço".  Percebe-se na convivência com os pequeninos , a visibilidade de pais presentes e de pais ausentes.

"1- Dê o exemplo
Se você quer que seu filho seja gentil, responsável e carinhoso, dê o exemplo.

2- Não negocie o inegociável
As crianças tendem a pedir tudo o que veem. Mesmo que você tenha poder aquisitivo, aprenda a dizer não e a limitar os mimos. Isso dará a seu filho a noção de que as coisas não caem do céu e de que tudo vem com esforço.

3- Critique os atos, não a criança
Se a criança tem uma atitude condenável, diga que você não gostou do que ela fez. Mas não denigra seu filho.

4- Seja firme e coerente
Deixe as regras bem claras. Nada pode ficar subentendido.

 5- Limite o tempo de TV e de internet
Uma a duas horas de TV  por dia estão dentro do razoável. A criança precisa de outros tipos de estímulos e de contato com a natureza.

6- Estabeleça horários
Acordar, comer, dormir - tudo tem de ter horário. A rotina ajuda a criança, principalmente a de menos idade,  a organizar seu pensamento e a educa para seguir regras.

7- Não tenha medo de castigar
É preciso saber que em muitos casos se deve frustrar o desejo da criança - mas com carinho e respeito. Lembre-se que a criança lê a falha do pai em dar limites como falta de afeto.

8- Elogie o bom comportamento
Quando a criança fizer algo de bom, não poupe adjetivos. Elogie efusivamente e mostre sua satisfação. As crianças aprendem a repetir os comportamentos que são valorizados pelos pais.

9- Aproveite o tempo juntos
Os pais se ressentem de longas jornadas de trabalho, que impedem um contato prolongado com seus filhos. Mas esteja atento ao fato de que passar o dia inteiro com a criança, não é melhor do que passar pouco tempo, mas de forma correta.

10- Seja presente na escola
Procure levar e buscar seu filho na escola, pelo menos algumas vezes por semana, converse com os professores e compareça às reuniões.

11- Dê tarefas domésticas
A partir do momento em que seu filho aprende a caminhar, pode começar a assumir algumas pequenas tarefas, como guardar os brinquedos. Com o tempo, pode ir colaborando de outras formas, como arrumar a mesa das refeições ou ajudar com a louça. Além de educar, essa participação nos afazeres domésticos deixam a criança feliz, porque ela se sente participante.

12- Favoreça a formação cultural
Desde cedo, leve a criança a teatros, cinemas, livrarias, museus e galerias de arte. Isso vai fazê-la refletir e vai deixá-la familiarizada com a riqueza do mundo das artes."

sábado, 31 de julho de 2010

Repousando a mente

Com a sensibilidade mais aguçada,  a gente tem a tendência de buscar a calma e o sossego de estar em  nossa própria companhia, momento de introspecção e um rápido isolamento, acaba deixando os nossos amigos preocupados, diria meio que curiosos, querendo a vitrine, enquanto estamos apenas nos enriquecendo interiormente, deixando para se envolver  apenas com atividades coletivas e grupais que nos interessem.
As amizades e as relações que tenham interesse em comum são o foco, qualidade de vida e as questões sociais com ideais elevados também, transformando assim o nosso afeto num sentimento universal e abrangente.

Pressões e milhos endurecidos ficam na trajetória do passado, o nosso presente,  é o melhor "presente" para o futuro, o nosso afeto mais íntimo é preservado e compartilhado a dois, maturidade requer isso.

Ah,  já manter a alegria , é um estágio da alma, vem anexada nela ao nascermos, nosso sorriso está sempre pronto,  independente dos problemas que encontramos, ao seu tempo, eles vão sendo resolvidos e ... "a paciência é uma virtude, um dom de Deus, é o que torna tudo firme e bem feito."

Bom sábado, gente!
Ester

Continuação do Machado de Assis ... História de Bichos

"- Senhor meu. disse-me um espadarte, eu sou grato, e todos os nossos o são, ao cuidado que tivestes em trazer para aqui uma piscina, onde podemos nadar e viver - mas piscina não vale o mar; falta-nos a onda grossa e as corridas de peixes grandes e pequenos, em que nos comemos uns aos outros, e com grande alma. Isto que nos deste prova que tendes bom coração, mas nós não vivemos do bom coração dos homens. Vamos comendo, é verdade, mas comendo sem apetite, porque o melhor apetite..."

sexta-feira, 30 de julho de 2010

A Pipoca de Rubem Alves

                                                  "A Pipoca

A culinária me fascina. De vez em quando eu até me atrevo a cozinhar. Mas o fato é que sou mais competente com as palavras que com as panelas. Por isso tenho mais escrito sobre comidas que cozinhado. Dedico-me a algo que poderia ter o nome de "culinária literária". Já escrevi sobre as mais variadas entidades do mundo da cozinha: cebolas, ora-pro-nóbis, picadinho de carne com tomate, feijão e arroz, bacalhoada, suflês, sopas, churrascos. Cheguei mesmo a dedicar metade de um livro poético-filosófico a uma meditação sobre o filme A Festa de Babette, que é uma celebração da comida como ritual de feitiçaria. Sabedor das minhas limitações e competências, nunca escrevi como chef. Escrevi como filósofo, poeta, psicanalista e teólogo- porque a culinária estimula todas essas funções do pensamento.

As comidas,  para mim,  são entidades oníricas. Provocam a minha capacidade de sonhar. Nunca imaginiei , entretanto , que chegaria um dia em que a pipoca iria me fazer sonhar. Pois foi precisamente isso o que me aconteceu. A pipoca, milho mirrado, grãos redondos e duros, me pareceu uma simples molecagem, brincadeira deliciosa,  sem dimensões metafísicas  ou psicanalísticas. Entretanto, dias atrás , conversando com uma paciente, ela mencionou a pipoca. E algo inesperado na minha mente aconteceu. Minhas ideias começaram a estourar como pipocas. Percebi, então, a relação metafórica entre a pipoca e o ato de pensar. Um bom pensamento nasce como uma pipoca que estoura, de forma inesperada e imprevisível. A pipoca se revelou a mim, então, como um estraordinário objeto poético. Poético porque,  ao pensar nelas, as pipocas, meu pensamento se pôs a dar estouros e pulos como aqueles das pipocas dentro de uma panela.

Lembrei-me do sentido religioso da pipoca. A pipoca tem sentido religioso? Pois tem. Para os cristãos,  religiosos são o pão e o vinho, que simbolizam o corpo e o sangue de Cristo, a mistura de vida e alegria(porque vida,  só vida, sem alegria, não é vida...) Pão e vinho devem ser bebidos juntos.

Vida e alegria devem existir juntas. Lembrei-me, então, da lição que aprendi com a Mãe Stella, sábia poderosa do Candomblé baiano: que a pipoca é a comida sagrada do candomblé.

A pipoca é um milho mirrado, subdesenvolvido. Fosse eu agricultor ignorante, e se no meio dos meus milhos graúdos aparecessem aquelas espigas nanicas, eu ficaria bravo e trataria de me livrar delas. Pois foi o fato é que, sob o ponto de vista de tamanho, os milhos da pipoca não podem competir com os milhos normais. Não sei como isso aconteceu, mas o fato é que houve alguém que teve a ideia de debulhar as espigas e colocá-las numa panela sobre o fogo, esperando que assim os grãos amolecessem e pudessem ser comidos. Havendo fracassado a experiência com água, tentou a gordura. O que aconteceu, ninguém jamais poderia ter imaginado. Repentinamente os grãos começaram a estourar, saltavam da panela com uma enorme barulheira. Mas o extraordinário era o que acontecia com eles: os grãos duros quebra-dentes se transformavam em flores brancas e macias que até as crianças podiam comer. O estouro das pipocas, se transformou, então, de uma simples operação culinária, em uma festa, brincadeira, molecagem, para os risos de todos, especialmente das crianças. É muito divertido ver o estouro das pipocas!

E o que isso tem a ver com o candomblé? É que a transformação do milho duro  em pipoca macia é símbolo da grande transformação por que devem passar os homens para que eles venham a ser o que devem ser. O milho da pipoca não é o que deve ser. Ele deve ser aquilo que acontece depois do estouro. O milho da pipoca somos nós: duros, quebra-dentes, impróprios para comer; pelo poder do fogo podemos, repentinamente, nos transformar em outra coisa voltar a ser crianças!

Mas a transformação só acontece pelo poder do fogo.

Milho de pipoca que não passa pelo fogo, continua a ser milho de pipoca, para sempre. Assim acontece com a gente. As grandes transformações acontecem quando passamos pelo fogo. Quem não passa pelo fogo, fica do mesmo jeito, a vida inteira. São pessoas de uma mesmice e de uma natureza assombrosas. Só que elas não percebem. Acham que o seu jeito de ser é o melhor jeito de ser. Mas, de repente, vem o fogo. O fogo é quando a vida nos lança numa situação que nunca imaginamos. Dor. Pode ser fogo de fora: perder um amor, perder um filho, ficar doente, perder um emprego, ficar pobre. Pode ser fogo de dentro. Pânico, medo, ansiedade, depressão - sofrimentos cujas causas ignoramos. Há sempre o recurso aos remédios. Apagar o fogo. Sem o fogo o sofrimento diminui. E com isso a possibilidade da grande transformação.

Imagino que a pobre pipoca, fechada dentro da panela, lá dentro ficando cada vez mais quente: pense que a sua hora chegou: vai morrer. De dentro de sua casca dura, fechada em si mesma, ela não pode imaginar destino diferente. Não pode imaginar a transformação que está sendo preparada. A pipoca não imagina aquilo de que ela é capaz. Aí, sem aviso prévio, pelo poder do fogo, a grande transformação acontece: pum! - e ela aparece como uma outra coisa, completamente diferente, que ela mesma nunca havia sonhado. É a lagarta rastejante e feia que surge do casulo como borboleta voante.

Na simbologia cristã o milagre do milho de pipoca está representado pela morte e ressurreição de Cristo: a ressureição é o estouro do milho de pipoca. É preciso deixar de ser de um jeito para ser de outro. "Morre e transforma-te!"- dizia Goethe.

Em Minas, todo mundo sabe o que é piruá. Falando com os piruás com os paulistas descobri que eles ignoram o que sejam. Alguns, inclusive, acharam que era gozação minha, que piruá é palavra inexistente. Cheguei a ser forçado a me valer do Aurélio para confirmar o meu conhecimento da língua. Piruá é o milho de pipoca que se recusa a estourar. Meu amigo William, extraordinário professor- pesquisador da Unicamp, especializou-se em milhos, e desvendou cientificamente o assombro do estouro da pipoca. Com certeza ele tem uma explicação científica para os piruás. Mas, no mundo da poesia, as explicações científicas não valem. Por exemplo:  em Minas "piruá" é o nome que se dá às mulheres que não conseguiram casar. Minha prima, passada dos quarenta, lamentava: "Fiquei piruá!" Mas acho que o poder metafórico dos piruás é muito maior. Piruás são aquelas pessoas que, por mais que o fogo esquente, se recusam a mudar. Elas acham que não pode existir coisa mais maravilhosa do que o jeito delas serem. Ignoram o dito de Jesus: quem preservar a sua vida perde-la-á. Sua presunção e o seu medo são a dura casca do milho que não estoura. O destino delas é triste. Vão ficar duras a vida inteira. Não vão se transformar na flor branca macia. Não vão dar alegria para ninguém. Terminado o estouro alegre da pipoca, no fundo da panela ficam os piruás que não servem para nada. Seu destino é o lixo.

Quanto às pipocas que estouraram, são adultos que voltaram a ser crianças e que sabem que a vida é uma grande brincadeira."

terça-feira, 27 de julho de 2010

A AGIR faz agitos na cultura da aldeia

Aqui em Gravataí tem a palestra no Sesc com orientações para a formação do Conselho Municipal de Cultura, conforme material recebido dos amigos Max e Denise.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Machado de Assis - Continuação da História de Bichos

"Enquanto pensava, ia fechando a janela da arca e tornei depois aos animais que trouxera comigo, à imitação de Noé. Todos eles aguardavam notícias do fim. Quando souberam que não havia notícia nem fim, ficaram desconsolados.

-Mas que diabo vos importa um dia mais ou menos de chuva? perguntei-lhes. Vocês aqui estão comigo, dou-lhes tudo, além da  minha conversação, viveis em paz, ainda que sois inimigos, lobos e cordeiros, gatos e ratos. Que vos importa que chova ou não chova?"

domingo, 18 de julho de 2010

Vida real

A vida da gente é rodeada por círculos em que circundamos, mas as nossas mãos são dadas a quem achamos que merecemos dar. Muitos não merecem nem menos um aperto de mão, conviver em sociedade requer habilidade de lidar com os lobos e cordeiros.
Uns enchem a boca para falar de ética, aí está o receio, porque salientar tanto algo, é afirmação?
Outros nem passam por ela, evitam e cortam caminhos, olhos cabisbaixos, desdenham e gemem de inveja por aqueles que caminham de cabeça erguida, que trabalham e querem o bem comum de todos, indiferentes às questões partidárias, afinal são cidadãos do mundo.
À esse pessoal eu tiro o chapéu, a boina, a touca ou seja lá o que for, menos o penso, este é único e me faz sonhar na realização de muita gente.
Lembre-se:  meu abraço sempre foi verdadeiro, acreditei e acredito sempre no teu melhor, por isso te olho nos olhos.

Trechos das Crônicas Escolhidas Machado de Assis - Folha de São Paulo

História de Bichos - 01-julho-1894

"Quinta-feira de manhã fiz como Noé, abri a janela da arca e soltei um corvo. Mas o corvo não tornou, de onde inferi que as cataratas do céu e as fontes do abismo continuavam escancaradas. Então disse comigo: As águas hão de acabar algum dia. Tempo virá em  que este dilúvio termine de uma vez para sempre, e a gente possa descer e palmear a Rua do Ouvidor e outros becos. Sim, nem sempre há de chover. Veremos ainda o céu azul como a alma da gente nova. O sol, deitando fora a carapuça, espalhará outra vez os grandes cabelos louros. Brotarão as ervas. As flores deitarão aromas capitosos."

terça-feira, 13 de julho de 2010

Saúde e bem-estar infantil

Transforme um BIG MAC em sorrisos no dia 28 de agosto é a campanha do Instituto do Câncer Infantil que estará participando do McDia Feliz. Participe com a sua família e convide seus amigos, vizinhos, colegas de trabalho para colaborarem com a campanha. A renda será revertida ao ICI-RS.

Fonte: Site da Biblioteca da Escola Estadual Técnica em Saúde de HCPA.

terça-feira, 6 de julho de 2010

Leituras

"Não me mostre o que esperam de mim porque vou seguir  meu coração, não me façam ser o que não sou, não me convidem a ser igual porque sinceramente sou diferente.......Não copie uma pessoa ideal , copie a você  mesma........ O que é verdadeiramente imoral é ter desistido de si mesmo."

Lendo o que Hilda Simões Lopes Neto escreveu sobre um tema que trata do momento atual, onde nunca se viu tantas contradições,  destaquei acima um dos trechos de Clarice Lispetor e abaixo os de Hilda,   "perceba os paradoxos e pense como nunca o homem foi tão poderoso para o bem e para o mal..... Clarice não enxergava a desumanidade do social mas sim a das almas, punha a mão na fome da integridade e não na de comida, gritava pela ausência de ser e não pela de saúde e saneamento."

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Nossa Seleção

Pois é... depois do segundo tempo a nossa seleção desmoronou e rola na internet um refrão "restou um Dunga, onze sonecas e cento e noventa milhões de zangados." Mas 2014 é logo ali e com certeza será mais de cento e noventa esperançosos em nova torcida.

domingo, 4 de julho de 2010

3º Concurso Cidade de Gravatal de Literatura Conto-Poesia

A Prefeitura da cidade de Gravatal está promovendo o 3º Concurso Cidade de Gravatal de Literatura, confira mais no site da http://www.ages.org.com.br/

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Hibiscos

A poesia de Hilda Hilst

Árias pequenas. Para Bandolim
               de Hilda Hilst

Antes que o mundo acabe, Túlio,
Deita-te e prova
Esse milagre do gosto
Que se fez na minha boca
Enquanto o mundo grita
Belicoso. E ao meu lado
Te fazes árabe, me faço israelita
E nos cobrimos de beijos
E de flores

Antes que o mundo se acabe
Antes que acabe em nós
Nosso desejo.

terça-feira, 29 de junho de 2010

Simplicidade

Um dia de sol no parque tem a simplicidade das coisas especiais, seja esse parque num lugar distante, na sua cidade ou até mesmo o seu "parque" não passe além do jardim da sua casa ou do jardim da casa de quem amamos. Muitas vezes também somos um parque de diversões para quem não tem tempo de enxergar o seu próprio parque. O que não é legal e nem devemos permitir é que façam da gente o seu parque de diversões, feito aqueles instalados em terrenos baldios, com diversas atrações, mas dar a sensação da proximidade da sensibilidade humana, é tornar o parque de cada um mais florido,  divertido e com opções de nos conquistar pra sempre.

domingo, 27 de junho de 2010

Cora Coralina

Este é um poema de amor
tão meigo, tão terno, tão teu...
É uma oferenda aos teus momentos
de luta e de brisa e de céu...
E eu,
quero te servir a poesia
numa concha azul do mar
ou numa cesta de flores do campo.
Talvez tu possas entender o meu amor.
Mas se isso não acontecer,
não importa.
Já está declarado e estampado
nas linhas e entrelinhas
deste pequeno poema,
o verso;
o tão famoso e inesperado verso que
te deixará pasmo, surpreso, perplexo...
eu te amo, perdoa-me, eu te amo...
"Poeminha Amoroso"
   Cora Coralina


Assim eu vejo a vida

A vida tem duas faces:
Positiva e negativa
O passado foi duro
mas deixou o seu legado
Saber viver é a grande sabedoria
Que eu possa dignificar
Minha condição de mulher,
Aceitar suas limitações
E me fazer pedra de segurança
dos valores que vão desmoronando.
Nasci em tempos rudes
Aceitei contradições
lutas e pedras
como lições de vida
e delas me sirvo
Aprendi a viver.
   Cora Coralina

sábado, 26 de junho de 2010

Seleção Brasileira


Sábado de boas notícias para a nossa seleção, pois Kaká e Robinho treinaram para jogarem na segunda contra o Chile. Acho que o Brasil vai passar fácil, se o Dunga orientar um contra-ataque forte.
Notícia ruim

O ex- aluno está em envolvido na morte de uma professora após uma tentativa de assalto.  Ela foi atingida com um tiro na cabeça, encaminhada ao Hospital Cristo Redentor, mas não resistiu.  A violência nas escolas merece atenção duplicada.

Notícia boa

Manoel Soares, nosso jornalista aqui do sul da RBS, visitou um lugar muito especial na África do Sul, passeando na rua onde morou Nelson Mandela, a rua mais importante da África do Sul, onde  a nata da boa música também está lá.

E o tempo hem...

E as chuvas por aqui fez com que  muita gente fosse resgatada pelos bombeiros. A avenida Tramandaí na zona sul ficou alagada devido ao arroio que transbordou, quem tentou ver o lado bom deu uma pescadinha pegando uns peixinhos.

Enquanto isso a cultura alimenta a alma do povo em Canela-RS

Os bonecos na serra do Rio Grande estão fazendo o maior sucesso no Festival de Bonecos de Canela, já são 22 anos de festival, com bonecos do mundo inteiro. Um espetáculo divino com mais de 150 artistas mostrando as suas técnicas. Precisa de muita habilidade do corpo dos artistas para darem vida aos bonecos. Os adultos se divertem até mais do que as crianças.


domingo, 20 de junho de 2010

Informações do mundo animal


Recebi o e-mail  da Sentiens Defesa Animal e repasso a programação:

Serviço: ANDA - Bem Animal (Festival de Consciência e Cultura) em São Paulo. Mais uma vez artistas se reúnem pelos animais.


A ANDA convida a participarem de um mega evento gratuito, construído por artistas e pessoas que se doam para difundir a conscientização e abolir a exploração dos animais.

Data: 04 de julho de 2010


Horário: das 16h às 20h

Local: Casa das Caldeiras - Av. Francisco Matarazzo, 2.000 - Barra Funda (em frente ao Clube Palmeiras)

Entrada Franca

Alimentação: vegana

Idealização e Realização: ANDA - www.anda.jor.br

Parceria: Casa das Caldeiras

Apoio: Apoema, Studio Breno Vieira, Matilha Cultural e Pulso Criações Sonoras

==========================



Serviço: 1º Passeio Ciclístico pelos Animais



Dia: 04 de julho de 2010

Horário: Concentração 14h30

Saída: Minhocão (Elevado Presidente Costa e Silva)

Chegada: Casa das Caldeiras – Av. Francisco Matarazzo, 2.000 – Barra Funda, em frente ao Clube Palmeiras

Percurso: Cerca de 5 km

Idealização: ANDA

Realização: Federação Paulista de Ciclismo e ANDA
Data: 04 de julho de 2010

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Saramago e a morte

O escritor José Saramago não temia a morte " Como posso temer a morte se a descrevi em tantos livros."

sexta-feira, 11 de junho de 2010





A cidade homenageada na 26ª Feira do Livro de Canoas é São Leopoldo e no ano de 2009 foi Gravataí. Bem que essa modernidade da Trensurb poderia chegar aqui também, afinal,  já fazem vinte e cinco anos que o trem passa por lá e por cá?????
O slogan da 26 Feira do Livro de Canoas tem tudo a ver, no trem se viaja e no livro também, através dele viajamos e damos a volta no mundo. O trem é apenas um ano mais novo que a feira, mas eu não o conhecia. No mês passado estive no lançamento do projeto da Neida Rocha e então debutei no trem. Cidade populosa, gente por todos os lados, todo mundo anda muito rápido, olha não perde muito para as grandes capitais na hora do rush.